Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



NÃO TENHO MEDO DO TEMPO!

Segunda-feira, 12.07.10

 

Não tenho medo do tempo

Porque o tempo recomeça

Sempre que bem lhe apeteça

Sem que ninguém o impeça!

 

 

Portanto digo;

 

 

“Se abrando,

Ficam-me as horas trocadas,

Fica tudo às três pancadas

E perco tempo…

Lamento;

Tenho pressa, muita pressa

E nenhum medo do tempo!”

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – 11.07.2010 – 20.59h

 

 

 

 

 

 

IMAGEM - Pormenor de uma tela de Salvador Dali (retirado da internet)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por poetaporkedeusker às 12:18


2 comentários

De severino a 13.07.2010 às 12:45

Este tempo envelheceu !
É mesmo, o que me parece !
Nem a troco de uma prece
Deixo de envelhecer eu

Velhos Tempos, Tempo Novo
Rezam nos tempos a história
Neste rasto da memória
Na história de qualquer Povo

Aceite esta brincadeira
Para não ficar calado
Quando me dá pra asneira
Há tempo por todo o lado

Com o meu tempo passado
Mesmo sem viver à pressa
A vida passou-me ao lado
Sem cumprir qualquer promessa

Mas se o tempo aos trambolhões
Se atrvessar no caminho
Aí só o euromilhões
Pode fazer um jeitinho

No bonito poema, vivendo à pressa arrisca-se a viver na frente do tempo.

Cordiais saudações
J/severino


De poetaporkedeusker a 13.07.2010 às 14:23

:) Seja muito bem-vindo, Severino! Muito obrigada por me deixar este seu poema como comentário. Gosto muitíssimo de despertar este tipo de comentários e fico muito feliz quando isso acontece.
Quanto a mim... quer-me parecer que sempre vivi um tanto ou quanto "à frente" do tempo :))
Abraço grande!

Comentar post








comentários recentes




Libertadores :)


View My Stats