Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



AO MAIO QUE HOJE ME OCUPA

Quarta-feira, 02.05.12

Maio, hoje, ocupou as ruas do meu corpo,
vestiu-se de vermelho e fez-se voz!



Há uma praça em luta,
um direito básico
que quase se perdeu,
uma conquista a cimentar,
uma memória que rasga um nervo… e salta!,
um velho-novo mundo,
escrito a sangue sobre asfalto,
que se não quer esquecido,
que reivindica, cresce e ressurge
da ponta dos meus dedos inquietos, febris…



Lá fora,
nas ruas onde o frio ainda gela,
onde as pedras se fazem sentir
duramente sob os pés,
onde o vento zune, espalha e semeia
as palavras de ordem que os ouvidos captam
e os gestos se traçam
nas três dimensões do costume,
sois vós, camaradas, quem se bate por ele…



Ainda a luta de classes,
neste Maio que não quer
nem  pode desmentir-se!



Nenhum medo
nenhuma hesitação
para além do vermelho que me veste
de uma urgência que só assim posso manifestar



Se o meu corpo não pode ir às ruas,
que venham elas ao meu corpo,
neste vermelho Maio em risco,
neste Maio que tentam roubar-nos,
neste Maio a querer fugir-nos
depois de conquistado a ferro e fogo
sobre as vidas de muitos,
com a vontade síncrona de tantos milhares
contra - sempre e para sempre contra! -
a humilhação da desigualdade,
o opróbrio da exploração,
a persistente e movediça hipocrisia de uns quantos!



Maio, vermelho Maio,
revisitando um sonho que resiste
nas ruas que invento no meu corpo desistente…






Maria João Brito de Sousa - 01.05.2012 - 14.50h

 

 

 

 





Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria João Brito de Sousa às 00:01


6 comentários

De jabeiteslp a 02.05.2012 às 08:12


Liberdade acima de tudo
Não fique o mundo
Mudo...

um bom e feliz dia

De Maria João Brito de Sousa a 02.05.2012 às 11:01

Liberdade, justiça, igualdade de direitos e oportunidades, Anjo da Esquina!
Enorme abraço!

De jabeiteslp a 02.05.2012 às 21:58



aquela malta das contas
sem afrontas

aterreram em Marte
e pra cá chegarem

ainda me dá um enfarte...


De Maria João Brito de Sousa a 02.05.2012 às 22:14

Com certeza haverá contas
Nesse planeta vermelho...
E talvez menos afrontas
Do que neste, onde aconselho

A melhor distribuição
Da riqueza acumulada...
Mas não estranhem a aflição
De não terem ar, nem nada...

Que isto de ser-se planeta
Onde a vida irrompe assim,
D`uma forma tão radiosa,

Nunca foi para o cometa
Já velho que mora em mim...
Vida é só... maravilhosa!!! ;D

De Maria João Brito de Sousa a 02.05.2012 às 23:37

Feliz noite, Anjo da Esquina!

Comentar post








comentários recentes