Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



PARA TE AMAR, POEMA...

Segunda-feira, 24.12.12

 

 

PARA TE AMAR, POEMA

*

Nenhuma montanha

será demasiado alta

para te amar,

poema,

para te amar,

tão só…

 *

e decido-me a deixar-te tombar…

 Na queda confundem-se

flor e pássaro,

tempo e modo,

metáfora

e urgência real de não chegar ao fim

Porém,

tudo não dura mais do que a palavra

que,

num súbito recuo,

opto por não deixar cair.

*

 

Salvo “in extremis”

no segundo imediatamente anterior

ao impacto derradeiro,

devolvo-te às asas a que sempre pertenceste

e enfrento,

mais só do que nunca

porque consciente e lúcida,

o maior de todos os riscos

no crescente declive das banalidades

 *

É tempo de dormir.

Amanhã será um novo dia

para te amar,

poema,

para te amar,

tão só…

*

 

 

 

Maria João Brito de Sousa – Poema manuscrito a 24.12.2012 – 02.00h

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Maria João Brito de Sousa às 14:20


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.








comentários recentes




subscrever feeds